Dr. Érico Diógenes | Urologista especialista em Cirurgia Robótica
Erico Diogenes - Doctoralia.com.br

O procedimento cirúrgico para retirada do rim é chamado de nefrectomia e costuma ser indicado para o tratamento de pacientes com carcinoma de células renais. As outras indicações são para quem sofre de rim não funcional, da doença de rim pequeno congênito e para quem deseja doar o órgão a alguém que necessita de um transplante renal.

Os casos de carcinoma geralmente são graves e podem levar ao óbito, pois se trata de um tumor que atinge a região dos rins e tem a capacidade de se espalhar por outros órgãos. A nefrectomia remove o tumor e inicia o processo de estadiamento da doença, além de indicar se a retirada deverá ser parcial (quando se remove apenas o carcinoma com parte do tecido) renal adjacente ou radical (quando ocorre a remoção de todo o rim).

Nefrectomia radical

Considerado o tratamento principal para o câncer de rim, a nefrectomia radical é o procedimento que elimina o rim, a glândula adrenal, seus revestimentos e também os linfonodos regionais, fazendo com que as chances de metástase do tumor se extingam.

A nefrectomia radical pode ser feita através da laparoscopia (por vídeo) e é chamada de nefrectomia radical laparoscópica. A sua maior vantagem é que ela é menos invasiva, apresenta menos chances de infecção e pouquíssimos danos estéticos.

Os pacientes que por algum motivo realizam a nefrectomia radical conseguem levar uma vida normal e sem dificuldades com apenas um dos rins. São raros os casos em que acontece alguma complicação.

Nefrectomia parcial

Ao contrário da radical, a nefrectomia parcial consiste na remoção do tumor apenas, preservando o restante do rim. Para tumores menores que quatro centímetros, esse é o procedimento mais indicado. Entretanto, ele também funciona muito bem no caso de tumores maiores, se o procedimento for compatível com o tamanho e o formato do tumor, é claro.

Essa cirurgia também pode ser feita através de laparoscopia, mas ela se torna restrita a diversos casos específicos, já que as complicações no caso da parcial são mais recorrentes que na nefrectomia aberta.
Cuidados no pós-operatório

O pós-operatório é bem simples e os cuidados começam logo após o procedimento, quando o paciente fica em repouso na sala de recuperação anestésica entre 15 minutos a duas horas, sob observação da equipe, para amenizar o efeito da anestesia.

Em casa, o indivíduo precisa tomar alguns cuidados como evitar alimentos gordurosos (frituras e com muita condimentação); não tomar bebidas gasosas; respeitar todo o período de repouso; não fazer grandes esforços físicos, incluindo as relações sexuais; tratar dos curativos.

Entrar em contato